Projeto da Prefeitura quer levar alunos de escolas municipais a conhecer a zona rural e a agricultura da cidade de São Paulo

Agroturismo pedagógico é uma das iniciativas do projeto Ligue os Pontos com o objetivo de fortalecer produtores e preservação ambiental na cidade

Agroturismo pedagógico do programa Ligue os Pontos teve algumas atividades antes da pandemia da Covid-19 | Foto: Arthur Boccia

Um projeto piloto realizado antes da pandemia da Covid-19 levou três turmas de crianças de escolas municipais para conhecerem produtores agrícolas em Parelheiros, zona sul de São Paulo. A iniciativa foi uma parceria entre as secretarias da Educação, Verde e Meio Ambiente e o projeto Ligue os Pontos, da Prefeitura de São Paulo, que tem o objetivo de fortalecer a produção agrícola na região como estratégia para gerar mais renda aos agricultores e preservar o meio ambiente.

“A base de tudo é a educação, por isso, conscientizar as crianças das nossas escolas sobre a valorização da agricultura, da alimentação saudável e da preservação ambiental são passos importantes para construir um futuro melhor”, diz a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo de São Paulo, Aline Cardoso. “Também é importante para os produtores, pois o agroturismo tem um grande potencial na geração de renda na região”, conclui.

“Essa atividade ajuda na valorização dos alimentos que chegam à mesa das crianças, serve de gancho para os professores trabalharem uma série de temas em sala de aula, e também traz maior conhecimento sobre essa região de São Paulo que muita gente não conhece”, afirma ArpadSpalding, técnico do projeto Ligue os Pontos.

Atividade de agroturismo pedagógico realizada antes da pandemia da covid-19 | Foto: Arthur Boccia

A gestora do CEU Parelheiros, Viviane Ramos, acompanhou a visita dos alunos e aprovou a iniciativa. “As visitas foram muito ricas, o que proporcionou aos educadores um belo trabalho pedagógico antes, durante e depois”, disse ela. “As crianças levaram informações aos familiares e algumas passaram a despir-se de preconceitos para experimentar os alimentos”, afirmou.

Os produtores visitados também gostaram da experiência. O Eduardo Faria, produtor de orgânicos, recebeu a turma em seu sítio e considera que ensinou e também aprendeu nessa interação com as crianças. “É muito bom transmitir para elas essa valorização da agricultura, da alimentação saudável, a importância do nosso solo, da flora e fauna da região”, disse.

O Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC) trabalha com o agroturismo de base comunitária em Parelheiros desde 2016, e chegou a levar turmas de escolas particulares. Agora, está estruturando também o agroturismo pedagógico para o pós-pandemia. “Essa região é fundamental para a qualidade de vida na Região Metropolitana de São Paulo, pois responde por um terço do abastecimento de água, tem um papel na qualidade do ar, tem área de mata atlântica preservada e maior fornecedora de produtos orgânicos para o centro da cidade”, diz Vera Lion, coordenadora do IBEAC. “O que queremos é que todos os paulistanos conheçam e valorizem essa região”, afirma.

Crianças se divertem durante atividade de agroturismo pedagógico | Foto: Arthur Boccia

Apesar do sucesso da experiência, a iniciativa está paralisada durante a pandemia da Covid-19. “Essa iniciativa piloto foi testada antes da pandemia e mostrou-se um ganha-ganha a todos os envolvidos. Os produtores aumentam sua renda mensal com a atividade, as crianças aprendem sobre o território rural da cidade, sobre alimentação saudável e sobre a conservação da natureza, e a cidade ganha com a formação de cidadãos mais conscientes. Assim que for possível retornar atividades presenciais com as escolas, essa atividade pode ser retomada, pois o projeto Ligue os Pontos incentivou a criação de uma associação de produtores, e as propriedades foram adaptadas para receber os alunos”, diz Nicole Gobeth, gestora do projeto Ligue os Pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *