Ligue os pontos: Encontro virtual marca lançamento dos selos “Nós fazemos a Sampa+Rural” e “Aqui tem produção de Sampa”

Nicole Gobeth, gestora do projeto Ligue os Pontos, fala com as secretárias municipais Aline Cardoso (desenvolvimento econômico, trabalho e turismo) e Marta Suplicy (relações internacionais)

Live transmitida no Facebook da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo contou com a participação de representantes do projeto, da chef Paola Carosella e agricultoras beneficiadas pelo projeto

As zonas rurais da cidade de São Paulo ocupam 25% do seu território. Apesar disso, poucas pessoas conhecem essa faceta da capital cosmopolita. Por meio do projeto Ligue os Pontos, a Prefeitura de São Paulo avança na promoção da visibilidade da agricultura, mercados, agroturismo, iniciativas da sociedade civil e políticas públicas desenvolvidas na cidade, com ênfase ao rural, à alimentação saudável e à proteção ambiental.

Nesta terça-feira, dia 25, às 15h, aconteceu o lançamento virtual dos Selos “Nós fazemos a Sampa+Rural” e “Aqui tem produção de Sampa”, ambos criados para destacar essas iniciativas, articulando e fortalecendo as agricultoras, agricultores  e demais atores da cadeia da agricultura e do alimento da cidade.

 “Uma das grandes inovações desta iniciativa, além de fortalecer a zona rural e sua preservação, especialmente no extremo sul da cidade, é trabalhar com toda a cadeia produtiva, agregando valor. Estes selos têm como objetivo materializar a conexão entre produtor e consumidor, além do mérito de trazer o senso de pertencimento de uma São Paulo que é desconhecida de muitas pessoas”, afirma Aline Cardoso, secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo. “Especialmente no contexto da pandemia e das mudanças climáticas, essas iniciativas nos enchem de orgulho e agradeço a todos os participantes que a constroem”, conclui.

Os representantes do projeto Lia Palm e Mathews Lopes apresentam os selos e a plataforma Sampa+Rural

Em razão do seu reconhecimento internacional por meio da premiação Mayor’s Challenge da Bloomberg Philanthropies, o projeto tem importância e interface internacional. “A Secretaria de Relações Internacionais tem um olhar muito especial para a região Sul. Isto vem desde a época em que fui prefeita e criei a área de proteção ambiental, passou pelas gestões de Bruno Covas e, agora, com Ricardo Nunes. Queremos tornar Parelheiros fonte de orgulho para a cidade”, ressalta Marta Suplicy, secretária municipal de Relações Internacionais.

Após as falas iniciais, o encontro virtual, mediado pela gestora do projeto Ligue os Pontos, Nicole Gobeth, contou com uma apresentação de Lia Palm, Analista  de Políticas Públicas e Gestão Governamental, e Mathews Lopes, arquiteto urbanista, sobre a plataforma Sampa+Rural.

Os selos começaram a ser distribuídos em fevereiro deste ano e sua distribuição será uma política perene. Até o momento, já foram distribuídos mais de 200 unidades. “Eles existem para reconhecer as iniciativas que integram uma rede. A ideia é que sejamos colaborativos e estejamos em conexão, multiplicando estes esforços”, ressalta Lia. “Fortalecer a agricultura local é uma forma de preservar o cinturão verde da cidade”, finaliza.

“É importante reconhecer que o selo não é um prêmio, mas um reconhecimento de iniciativas que trabalham em colaboração, fortalecendo uma cidade mais rural, saudável, com ações para a preservação do meio ambiente, produção de água, educação ambiental e geração de renda. Quanto mais o projeto for ampliado, mais a rede se fortalece e a cidade ganha. Todos que a compõem são importantes”, explica Mathews Lopes.

Arpad Spalding, articulador de campo e mercados, refletiu, ainda, sobre os selos terem a função de demonstrar e reconhecer que existe uma cadeia por trás de um alimento. Para concluir, ele pontuou o papel estratégico das mulheres em todos os elos da cadeia da agricultura, o que se refletiu na organização do evento, que contou com a participação de tantas mulheres em posições de fala distintas. “Sem feminismo não existe agroecologia”, finaliza.

Chef Paola Carosella, as agricultoras Terezinha e Luiza, Arpad Spalding, articulador de campo e mercados do projeto Ligue os Pontos e a Secretária Aline Cardoso falam sobre os selos Sampa+Rural

A chef de cozinha Paola Carosella, dona dos restaurantes Arturito e da rede La Guapa, contou como iniciou sua busca por produtos agrícolas cuja origem era possível ser rastreada. “Comecei a procurar um lugar onde eu pudesse abastecer meu restaurante, em 2014, que não fosse apenas o Ceagesp e que nos conectasse mais com quem produz a comida que preparamos. Não tinha a ver com a qualidade dos produtos, mas com o fortalecimento da agricultura local”, explica. “Atualmente, o Arturito compra 60% dos seus legumes da Cooperapas. Para mim, a cooperativa e os agricultores são parte do nosso trabalho no restaurante”, completa.

Ela também destacou a entrega dos selos como um divisor de águas no processo. “É algo muito positivo. Tomara que se espalhe e continue a crescer. A mensagem que fica é a de que como consumidores podemos fazer a diferença. Podemos escolher quem beneficiamos e quais são as políticas públicas que queremos apoiar”, destaca.

Na sequência, foi a vez das falas das agricultoras. Luzia Souza destacou que se sente “valorizada e reconhecida pela iniciativa”. Ela disse que está há quatro anos no sítio na região de Marsilac, na zona sul, e destacou, entre os projetos possibilitados pelo projeto Ligue os Pontos, a instalação de um galinheiro agroecológico para a produção de ovos caipiras.

A agricultora Terezinha dos Santos, de São Mateus, na zona leste, contou que “se encontrou na agroecologia”. “Vim da Bahia para morar em São Paulo há 15 anos e não quero ir embora. Comecei com um curso de jardinagem e hoje cuido de uma área de seis mil metros quadrados”, disse. “Ser um agricultor urbano não é fácil, mas é um prazer enorme. Larguei uma vida lá por causa da seca, o que tornava o cultivo muito difícil”, completa.

A secretária Aline Cardoso encerrou o encontro destacando que a Prefeitura de São Paulo está buscando recursos internacionais para ampliação do projeto Ligue os Pontos. “São Paulo é uma cidade heterogênea que é capaz de muitas coisas, até mesmo de produzir seus alimentos”, destacou. “Vamos fomentar estas iniciativas pensando tanto na segurança alimentar, quanto na preservação ambiental e geração de renda, que é o tripé que nos move neste propósito público”, finaliza. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *